Concorrência x Inimigo


Oi gente! Tudo bem com vocês? Apesar da correria já habitual, estou bem. O post de hoje pode ser interpretado de várias formas: como desabafo, relato de rotina profissional, enfim. Eu encaro como uma conversa franca e aberta a quem quiser dialogar, debater. E o assunto é antigo, do tipo que não se enquadra apenas nesse segmento, mas em qualquer outro: a concorrência.
Quando iniciei o cerimonial, fiz um levantamento do mercado, uma grande pesquisa, o chamado plano de negócios. Tive o trabalho de estudar cada elemento do mercado que iria me inserir, inclusive o temido tópico “Concorrentes”. Só que por mais que estudemos a concorrência, onde está, o que faz, dentre outras informações, nunca vamos saber como ela vai se comportar com nossa existência, até que ela mostre suas atitudes. Assim é a natureza humana: imprevisível.
Eu simplesmente acho que concorrente não tem que ser inimigo. Meu compromisso com meu trabalho não justifica faltar com respeito ao meu semelhante, ainda que ele esteja competindo pelo mesmo cliente que eu. Pelo contrário: acho saudável conversar, trocar figurinhas, afinal nem todo mundo passa pela mesma experiência e essa troca contribui para o crescimento de ambas as partes. Por favor, também não quero que pensem que saio por aí, entregando clientes em uma bandeja. Não é por aí. Mas por exemplo, se uma noiva vem me procurar e já tenho sua data ocupada, não sou mesquinha ao ponto de não indicar alguém que trabalhe como eu para o meu lugar. Gente, cerimonial é importante para o sucesso de um evento, não é porque não posso participar deste momento que vou deixar a pessoa entregue à própria sorte.
Agora, na contramão desta via, algumas pessoas insistem em tornar o ambiente conturbado. Eu mesma, há um tempo passei por uma situação chata. Uma cerimonialista chegou a falar mal de mim, provocar terrorismo sobre meu trabalho para uma noiva, que por sinal já era minha cliente. Na ocasião, a jovem em questão repudiou a atitude da profissional e me defendeu, por me conhecer. Por falar em conhecer, nunca vi esta cerimonialista na minha vida! A noiva me mandou o histórico da conversa, me alertou e a agradeço até hoje pela confiança e consideração (Valeu Dayana!). No momento fiquei chateada, porque qualquer um ficaria. Mas sabem que não guardo rancor? Só desejo que um dia ela entenda que no mercado há lugar para todo mundo, desde que haja carinho e dedicação ao ofício.
Recentemente fiquei sabendo de uma rusga entre outras duas cerimonialistas, só que desta vez virou problema judicial. Uma história que envolve fakes no Orkut, difamação e outros sentimentos que nem vale a pena mencionar! Não entrarei no mérito de discutir pessoas, afinal, isso é assunto da justiça e aqui é um blog de casamento, não de fofoca! Mas vou discutir ações. Meus queridos e minhas queridas, o tempo que se perde queimando o concorrente é o mesmo que se poderia fazer um curso de aperfeiçoamento ou trabalhar a publicidade da própria empresa. A diferença é que se perde tempo ou investe-se nele. Pensem nisso.
Só sei que todas as cerimonialistas que quiserem bater papo, de forma sincera, claro, porque falsidade não tem vez comigo, serão bem-vindas! Quero mandar um big beijo para todas as cerimonialistas que conversam comigo pelo Twitter! Não vou citar nomes porque pode faltar alguém e não quero ciúmes! RS Mas sintam-se todas beijadas, abraçadas e convidadas a comentarem este post, uma vez que passam pelos mesmos problemas que eu!
Até a próxima!

4 comentários:

Mayara Matos disse...

Com certeza trocar figurinhas e se ajudar é muito melhor!
Sempre que converso com a Rô falo que : é dividindo que se cresce!

Também acompanhei essa história do orkut e foi o cumulo! Espero não ver mais algo do tipo... Não tem necessidade.

Beijinhus amiga do twitter e em breve pessoalmente!!!

Jane Alves disse...

Não acompanhei esse "zun zun zun" que vocês citaram, mas acompanhei outros, o que é lamentável!
Compartilho da mesma idéia que concorrer não precisa ser igual a guerriar...
Infelizmente, no Brasil, ainda não somos tão "reconhecidas" como gostaríamos e a melhor ação que poderíamos fazer para mudar isso seria a de estarmos unidas, trocando informações e assim aprimorando nosso trabalho.
Realmente, Mayara, é dividindo que se cresce!
Bjinhus

Marinez Roque disse...

Quantas verdades foram colocadas, aqui, e de forma gentil!!!

Marine Roque

Fotos disse...

Aprendi há tempos atrás que nada é o que se fala e sim como se fala. Concorrência tem que existir é saudavel e gera a constante atualização e melhoria dos nossos serviços!!! Se cada profissional se focar no seu bom atendimento com certeza o mercado de casamentos ganhará forças e será mais reconhecido!!! Em vez de fazer picuinha vamos buscar dar um melhor atendimento, cada um cuidando da sua parte todos ganham!!!

Bjos