Nota de Esclarecimento

Atualização final:
O valor pago na inscrição foi devolvido, como deveria ter sido feito desde o início. O feedback foi dado, reforçando sempre que em nenhum momento a nota de esclarecimento teve como propósito tomar partido de um dos lados que não fosse o meu. Tudo que foi narrado foi comprovado por imagens e peço que aqueles que no futuro venham a ler, tenham o cuidado de abrir cada uma, pois elas confirmam o que foi escrito. Fiquem atentos que, com o texto, mostrei não poderia ser responsabilizada perante as pessoas por algo que não fiz, que não houve "esquecimento" da minha parte ou coisa do tipo, fato esse reconhecido pela organizadora, quando me foi informado sobre o pagamento. Minha consciência ficou tranquila a partir do momento que coloquei minha versão dos fatos sobre o que diz respeito ao meu nome ser envolvido na situação e acho que de uma vez por todas esse assunto foi esclarecido. No mais, espero que as duas partes, principais envolvidas na história tenham se resolvido e como podem ver, deixaram comentários expondo seus pontos-de-vista. Nada foi apagado e nem será. Inclusive os que foram deixados de forma anônima, pois ao lerem, verão que indiquei onde estão as respostas para os questionamentos feitos. Só peço que as pessoas não se encondam atrás do anonimato ao darem opiniões, pois a discussão é sempre válida, a troca de idéias é sempre bem-vinda, mas gostamos saber com quem falamos, não é, gente? Não tenho conhecimento de como terminou essa história para elas, e indico que as procurem caso tenham interesse. Mas para mim, assunto encerrado, lição aprendida e foco no meu trabalho, que realizo há quatro anos com muito amor e muita dedicação. Sorte para as duas envolvidas e vida que se segue.

Atualização 17/09:
Como havia dito na última atualização, após a postagem, a organizadora da feira se comprometeu a fazer o depósito de todo o valor pago até então. Ela enviou duas identificações de depósito, os quais verificarei hoje, pois o final de semana foi de muito trabalho. Como disse, sou uma pessoa justa, o prometido, sendo cumprido, eu informo aqui, até porque, como podem ler no post, não é minha intenção denegrir alguém, mas sim mostrar minha versão dos acontecimentos que me dizem respeito. O que foi resolvido (e me parece que foi) entre empresa detentora das imagens e organizadora, diz respeito a elas. Mas o que implica no meu nome e em algo que não fiz e fui responsabilizada, diz respeito a mim e tenho sim o direito de me posicionar. Tive todo o cuidado na escolha das palavras, justamente por isso, pois o objetivo é uma narrativa, não uma adjetivação de pessoas. 

Atualização às 20hs:
Após a publicação da nota de esclarecimento, recebi essa mensagem via Facebook:


Vou aguardar o depósito e resolver o que judicialmente já foi iniciado. O depósito sendo feito, vou informar aqui, pois justiça tem que ser feita: Se promete e cumpre, tem que ser divulgado. Erros e acertos divulgados da mesma forma, independente de quem seja. Isso é ter ética. Só acho que todo o estresse que me foi causado, principalmente por ser um dia tão especial para mim, foi completamente desnecessário. Persisto, tudo que mencionei abaixo tive o cuidado de comprovar através de imagens que são minhas, dos meus perfis e minhas caixas de mensagem.


Oi gente, boa noite. Gostaria de dizer que este é um post alegre, afinal, completo um ano hoje de casamento (uhuu!), mas infelizmente o assunto é chato. Quero por meio desta nota de esclarecimento cancelar a promoção em parceria com a Bela Sposa e a Bete Guimarães, Noivas Encantadas e a participação da Casamenteira Cerimonialista da Expo que aconteceria no dia 21 de outubro, em Nova Iguaçu.
De antemão informo que as noivas que se inscreveram já começaram a ser informadas que terão direito aos descontos e brindes que providenciaríamos para as vencedoras, por entendermos que elas não são culpadas do que aconteceu. Pelo contrário, merecem nosso respeito e nossa consideração.
O desligamento do cerimonial foi solicitado ontem à noite, após uma série de acontecimentos que narrarei aqui e começou com o recebimento da seguinte notificação em meu blog:



Este comentário foi deixado no post sobre como chegar à casa de festas, publicação que continha a imagem do convite. Prontamente, entrei em contato com o endereço deixado e expliquei que eu não era a organizadora do evento, nem muito menos responsável pela arte, mas sim uma participante da feira que, a pedido da organização, estava divulgando a imagem. A representante da Habel Strauss, Patrícia, entendeu e aceitou minha explicação e informou que entraria em contato com a organizadora.
Preocupada com o quanto aquilo poderia me prejudicar e com a feira, afinal, associei meu nome ao evento, entrei em contato via Facebook com a organizadora. Acompanhem abaixo:


Minha preocupação não tinha tamanho. Fiquei com receio, porque realmente a empresa era detentora da imagem, eu vi no site, através do endereço de e-mail do fornecedor. Sem falar que, como era surpresa para mim, seria para os outros profissionais envolvidos.


Repararam que a responsabilidade foi assumida? Repararam no pedido para ficar em OFF? Eis que chegam as orientações:

Como disse na mensagem acima, não julguei correto bloquear a pessoa e simplesmente achar que nada aconteceria. Não é da minha conduta. E, do alto da minha preocupação, falei que era melhor os fornecedores descobrirem pela organização que pela Habel Strauss (o que veio a acontecer). Estava errada? Acredito que seria a melhor maneira de administrar a crise. Não bloqueei a responsável pela reclamação e percebendo a gravidade da situação, exclui as imagens que eram de propriedade dela e dei o conselho acima. 
Bem, minha postura a partir daí foi " Já sabem que não tenho a ver com isso, dei o conselho que gostaria de ter recebido e agora vamos aguardar". Aguardei e para a minha surpresa, recebi, com cópia destinada a todos os fornecedores participantes, uma mensagem antes enviada para a detentora dos direitos de imagem, com o seguinte trecho:


Gente, juro por tudo que é mais sagrado que eu não sabia de nada disso. Porque se soubesse, eu não ia creditar a empresa na foto, eu não iria divulgá-la. Não há como esquecer uma coisa que não me foi informada. E os créditos deveriam vir na imagem, não no meu post, afinal, todos os fornecedores estavam divulgando e pelo menos, os que reparei, ninguém comentou nada sobre o bendito crédito. Tanto que me revoltei, no meu direito e pedi a minha saída da Expo. 



Até o momento, minha participação estava garantida em razão do meu profissionalismo, pois já havia tido um problema anterior, ao qual resolvi esquecer, pois acredito que a minha paixão pelo meu trabalho é maior que tudo isso. Só que achei o fim da picada ser culpada por algo que não fiz. A primeira parte da resposta a esse e-mail já valeu por toda minha indignação:


Por favor, voltem na imagem acima. Tem algo falando sobre eu ter faltado a alguma reunião ou algo falando sobre esquecimento? Porque realmente, se não estive na reunião, como eu esqueceria? Ah, tudo bem, mas pelo menos não foi por maldade, não é?
Independente dos problemas anteriores, me coloquei no lugar da Habel Strauss. Não gostaria de encontrar uma foto minha de trabalho por aí, vinculada a algo que nada tenho a ver. Ainda que não fosse a propaganda de produtos similares aos dele, não era, mas sim a publicidade do evento. Porém, acredito que pela qualidade das fotos, houve todo um investimento: Modelo, produção, cabelo, maquiagem, fotógrafo... e o próprio site, que é bem bonito, com recursos bem arrojados. Não estou tomando partido, estou sendo justa. Foi um erro não ter ao menos pedido para usar as imagens no material de divulgação, ainda que estivesse creditado (ao que parece, alguns até estavam, mas o convite em questão, não, e tudo feito sem a autorização da empresa). Admitir um erro é tão ou mais valioso que não cometê-lo.
Por não querer mais meu nome envolvido com essa polêmica (mídia negativa sempre será mídia negativa, mesmo sendo mídia), como falei, pedi o desligamento da feira. A princípio, fui informada que receberia o valor e me foi pedido os dados bancários:


Isso, ontem à noite. Já hoje de manhã, eu continuava a ter minha participação divulgada, mesmo não querendo e fui notificada de que, primeiro não receberia o valor pago de volta:


Ponto 1: Não há quebra de contrato, porque não tem contrato. Isso mesmo, foi tudo na base da "confiança" das referência que tínhamos de outros profissionais que participaram anteriormente.
Ponto 2: Planejamento não é algo engessado, ao meu ver. Tem que se mudar quando se é necessário.
Ponto 3: Use a foto... continuou estimulando a usar a imagem que não era para ser usada. Só pensei nesse momento: Antes eu divulgava porque não sabia, mas agora sei, então vou continuar sendo conivente? Será que vale a pena ser processada por algo que não tenho culpa? Quando questionei sobre o contrato, olha o que me foi informado:


Tipo, é isso mesmo? Deveria eu esperar para receber o contrato e ainda assiná-lo? Gente, eu cometi um erro primário ao não assinar contrato, a agir na base da confiança, confiando em alguém que não conhecia. Mas daí a mandar meus dados, esperar um contrato para assinar e assumir que não devo receber nada por isso? Não paguei por publicidade, nem muito menos paguei para ser alvo de alguém.


Depois que receberia só a metade, em razão da propaganda feita no Facebook da minha participação. Já estou com orientação jurídica e espero que tudo termine bem. Falei que iria divulgar o que estava acontecendo, afinal, era o mínimo que eu podia fazer e fui acusada de coação. Coação por cobrar o que me deve? Divulgação? Foi divulgada minha presença na feira, não apenas o cerimonial. E também divulguei, tanto que me meti nessa confusão toda por divulgar o evento. É assim: ou metade ou nada e eu que me dane? Sem falar que fui acusada de esquecer algo que não esqueci. Simplesmente eu não sabia (já repeti isso tantas vezes que acho que estou me tornando chata). Não acredito estar errada.
Me senti no direito de fazer esse post, porque me senti prejudicada ao ser acusada de ter esquecido os créditos da foto (a representante da Habel falou que eu podia ficar calma, que nada aconteceria comigo em razão disso), mas também no dever de esclarecer o que aconteceu comigo, para que ninguém pense que estamos cancelando a promoção e que estou saindo do evento por falta de profissionalismo. Pelo contrário, estou saindo por não concordar com as atitudes demonstradas no ocorrido. 
Com esta publicação, não tenho o interesse de brigar, de discutir, de qualquer outra coisa que não seja o meu direito de defesa, caso venha a ser culpada de algo mais, quem sabe inveja ou olho grande. E meu interesse é tanto em falar o que aconteceu que tive o trabalho de printar mensagens, eu não copiei e colei o que foi escrito, mas sim, salvei em imagens. E todas elas foram tiradas dos meus perfis, minha caixa de mensagem, logo, eu quem teria o direito de reclamar a exposição. As mensagens estão guardadas caso judicialmente sejam necessárias. Só escrevo em respeito a mim mesma, que batalhei durante quatro anos para cuidar das minhas noivinhas, do blog e de tudo mais que tenho em razão do trabalho. E o maior reconhecimento disso foi hoje, chateada com os rumos das coisas, a noivinha Priscylla me confortou, dizendo palavras bacanas sobre quem sou e o que faço. Você aí que está lendo, tem também o direito de ter sua idéia formada sobre o assunto, só peço que respeite a posição que tomei.
Um profundo sentimento de gratidão a todos aqueles que me acompanham e acreditam no meu trabalho.
Boa sorte para aqueles que continuam no projeto, de coração mesmo, porque acho a idéia muito boa, pena que houve todo esse problema na divulgação que terminou com o cancelamento por parte da casa de festas.
Beijos para todos aqueles que me dão apoio. Familiares, amigos, parceiros e clientes. São muitos, não daria para citar aqui.
Não creio em inimigos maior que Deus.

7 comentários:

Anônimo disse...

Roberta,

Admiramos sua coragem, sua honestidade, ética como pessoa e profissional. E estaremos à sua disposicao em tudo que precisar neste processo judicial que enfrentará contra esta pessoa que LESA AS DEMAIS, USA DEUS PARA JUSTIFICAR (Deus nao tem nada a ver com isso) E ACHA QUE PODE USAR TRABALHO ALHEIO PARA OBTER PROVEITO PRÓPRIO além de tentar justificar o crime porque possui MATRICULA FISCAL, comentendo OUTRO CRIME contra a ADMINISTRAÇAO PUBLICA VALENDO-SE DA QUALIDADE DE FISCAL (SE É QUE É MESMO). Qualquer um que veja as fotos que você postou como PROVA CABAL DE MÁ FÉ DESTA CRIMINOSA já pode ver que até como foto de perfil ela usa uma de nossas fotos de nossa máscara CREME com fundo de veludo vermelho como se fosse proprietária da mesma. Para os demais que desejem mais esclarecimentos criamos um perfil com o propósito de esclarecer PUBLICAMENTE o ocorrido:

http://www.facebook.com/gabrielleelise.darocha

NÓS DEMOS ONTEM A NOITE UMA OPORTUNIDADE PARA A DONA DO EVENTO SE RETRATAR E VOLTAR ATRÁS, NO ENTANTO 24 HORAS DEPOIS ELA SEGUE INSISTINDO EM USAR OS BANNERS IMPRESSOS E NOSSAS FOTOGRAFIAS. O NÍVEL É TAO BAIXO QUE MENTIU E NAO RETIROU AS FOTOS, QUE ESTAO SENDO RETIRADAS LENTAMENTE POR DENÚNCIAS NOSSAS EM FACEBOOK, YOUTUBE, LINKEDIN, E BLOGS NOS QUAIS A MESMA USA NOSSAS IMAGENS (NOSSO TRABALHO) PARA DIVULGAR O QUE ELA VENDE COM NOSSO ESFORÇO.
SE O EVENTO NAO FOR CANCELADO VIA LIMINAR, NOSSOS ADVOGADOS ESTARAO PRESENTES PARA INSTRUIR O PROCESSO QUE SEGUIRÁ. BOA NOITE E OBRIGADA PELA ÉTICA.
HABEL STRAUSS
WWW.HABELSTRAUSS.COM
INFO@HABELSTRAUSS.COM

Priscila Farias disse...

Admiro demais a sua honestidade..Nunca deixe de ser assim.
Pois você pode achar que esta perdendo algo mais Deus la na frente te da algo bem Maior.
Não se preocupe e Parabéns...
Sua Noivinha Priscila

Anônimo disse...

Nossa, isso é uma tristeza as pessoas mudam d+ as coisas... Leia lentamente e vc verá q nenhum momento a pessoa disse q não devolveria seu dinheiro... Apenas, para tirar essa mal impressão ... mas, se vc n quer é um direito seu (lógico)
Desculpe, não quero falar nem mal de vc e nem dela pois, eu não conheço nenhuma das duas ...Simplismente é a lógica , pq vc tá com tanto medo se vc não tem nada haver com isso?
DEIXA TUDO NAS MÃOS DE DEUS, POIS ELE É O MELHOR ADVOGADO... Um Abraço!!!

Roberta Rodrigues disse...

Oi gente.
Último anônimo (por favor, se possível gente, mesmo postando como anônimo, assinem a mensagem como a Habel Strauss fez para que eu saiba a quem estou me direcionando):
Por favor, leia a imagem de 10 a 13. Lá consta a informação de que meu valor não será pago porque não houve quebra de contrato, contrato esse que não existe.
E sim, estou me defendendo porque me culparam no e-mail enviado, por favor, procure a imagem do e-mail enviado a todos os fornecedores, inclusive a empresa que reclama o direito da imagem. Foi dito que não coloquei o crédito por esquecimento e isso não existiu em momento algum. Nunca fui informada sobre colocar créditos, logo não poderia ter esquecido. Além disso, não participei da confecção do convite, logo, não teria motivo para eu colocar os créditos na imagem.
É um direito meu sim me defender diante de tudo isso. Não é medo, é um direito. E tive a preocupação em colocar o que aconteceu, justificando por imagens que comprovem o que narrei. Até porque, mesmo não tendo formação jurídica, acredito que é necessário ouvir todas as partes. Todos têm o direito de se manifestar e estou exercendo o meu. Obrigada pelo comentário e sim, estou confiando em Deus, mas se for preciso, a justiça dos homens também será usada. Beijos anônimo!

Anônimo disse...

Não compartilhe imagens ou mesmo conteúdos que estejam denigrindo alguma pessoa: Sabemos que temos o direito de nos expressar, para tanto, mesmo que você concorde com determinado assunto, tenha o cuidado de se manifestar sobre ele, não use palavras de baixo calão, tampouco acuse alguma pessoa sem provas. Você poderá ser acionado judicialmente sobre isso e responder processo por difamação e calúnia, então, cuidado com os comentários, tudo que é dito, na internet ou não, precisa ser provado.

Roberta Rodrigues disse...

Oi gente, por favor, vamos citar o nome, porque essa coisa de anônimo é um tanto estranho. A pessoa tem o direito a ser respondida, mas também tenho direito a saber para quem estou respondendo, não é verdade? Vamos parar de nos esconder atrás do anônimo, combinado?
2º anônimo, em nenhum momento denegri a imagem de alguém, não usei adjetivos, só narrei o acontecido com imagens justificando cada coisa que mencionei. Isso não é crime, até onde sei. Não falei palavras de baixo calão, caso tenha usado, por favor, indique onde leu. Não houve acusação, houve defesa da minha parte, pois entendo que não existe verdade que venha apenas de um lado. Todos os lados precisam ser "ouvidos" (ou lidos, no caso do blog). Em nenhum momento, por exemplo, defendi um lado ou outro, me preocupei em explicar como meu nome foi envolvido nessa história.
Até porque se fosse para processar, eu poderia processar pelo estresse causado a mim e por ter sido acusada de algo que não fiz (já que me foi atribuído o fato da imagem não ter crédito, quando na verdade, eu não tinha o mérito de fazer isso).
E parafraseando o seu comentário, anônimo, tudo que é dito, na internet ou não, precisa ser provado, e aqui foi, é só ter tempo e atenção ao abrir cada imagem e associar a cada parágrafo.
Gente, não vou bloquear comentários nos posts, nem muito menos nesse, porque eu acho a discussão válida e nem tenho a pretensão de que só concordem com meu ponto-de-vista. Mas não vou permitir mais comentários anônimos. Como eu disse, é bacana a pessoa colocar o nome no final do comentário, quando for postar anônimo, mas daí se esconder atrás do anonimato também não é justo comigo, com quem acompanha o meu trabalho ou com quem simplesmente esbarrou neste post.
Repito, caro anônimo: por favor, me informe qual foi a palavra de baixo calão ou o que não foi comprovado, de acordo com o que foi dito. Se preciso, leia novamente e de forma cuidadosa o post. Lembrando: Baixo calão é sinônimo de palavrão.

Aryane Moren disse...
Este comentário foi removido pelo autor.